Saúde Bucal e Prevenção

Cuidados com a Saúde Bucal

RC Odontologia é referência em Porto Alegre quando tratamos da Saúde da Gengiva. É a área que atua na prevenção e no tratamento das doenças que acometem os tecidos ao redor da coroa e raiz do dente. Visando manter a placa bacteriana sob controle, pois sem ele podemos ter tecidos inflamados e conseqüentemente podendo ocasionar a sua perda dentária.

Saúde da Gengiva
Saúde da Gengiva - Bebês

As doenças periodontais podem afetar a gestante e seu bebê?

A gestação é uma época importante para que você mantenha os cuidados com sua saúde bucal, não apenas por você, mas também para que seu filho desenvolva uma dentição adequada e saudável. As estruturas bucais do bebê iniciam sua formação na vida intra-uterina.

A gestante pode receber tratamento odontológico durante a época da gestação, embora o segundo trimestre, (3-6 meses) seja o mais indicado. É importante a gestante procurar orientações sobre sua saúde bucal logo no início, pois existem vários estudos que relacionam gengivite e periodontite em gestantes com parto prematuro e bebês de baixo peso.

Tudo depende de sua Boca!

A nossa boca abriga uma população de bactérias, se coletarmos uma gota de saliva, encontraríamos mais de 100 milhões desses micros organismos(bactérias). Uma parcela deles trabalha em prol da cavidade bucal. No entanto, quando a higiene, (escova, fita/fio dental, raspador de língua e enxaguatórios), não são feitos adequadamente, as bactérias se multiplicam e surgem os problemas, o resultado dessa falta de higiene são as cáries, mau hálito (halitose), as doenças da gengiva (gengivite), e do osso (periodontite) e doenças sistêmicas.

A gengivite pode atingir pessoas de qualquer idade, já a periodontite é mais freqüente em pessoas acima de 25 anos. A principal causa dessas doenças é a placa bacteriana, hoje também chamada de biofilme. Ela se acumula em nossa boca num todo, mas, principalmente nos dentes e se não for removida diariamente e quando calcificada com os sais minerais formará o calculo/tártaro.

Se a placa bacteriana não for removida diariamente através da higiene bucal, as bactérias multiplicam-se e liberam toxinas, nosso organismo por sua vez, responde através de um processo inflamatório do qual o primeiro sinal é o sangramento.

Problemas que ainda imperam na boca dos brasileiros. Mais de 90% da população teve ou tem uma cárie na vida, e 80% dos adultos sofrem desde uma gengivite até seu estágio mais grave, a periodontite, correndo alto risco de perda dentária, implantes, próteses e o grave perigo é que, as bactérias e a inflamação causada por elas, causam males bem longe da boca.

Os micro organismos, (bactérias) da doença periodontal potencializam problemas cardíacos, gastrites, sinusites, pneumonias, artrites, diabetes, nascimento de crianças prematuras e de baixo peso.

As doenças periodontais são diagnosticadas e tratadas pelo periodontista, cirurgião dentista especialista na prevenção, diagnóstico e tratamento destas doenças.

Saúde da Gengiva - Hálito

Causas do mau Hálito

Cerca de 96% dos casos de mau hálito ocorrem devido à presença de saburra na língua (material viscoso, esbranquiçado ou amarelado, que adere ao dorso da língua em maior proporção na região do terço posterior) e a falta de uma higiene adequada na boca.

O mau hálito ocorre por quatro fatores distintos: pela falta de escovação da língua; devido à doença de gengiva avançada e no osso (periodontite); nos tecidos moles da garganta, como a amígdala, faringe e laringe, principalmente, quando a pessoa está resfriada; e, em menor escala, por causa de cáries.

O dentista explica que o mau hálito, conhecido como halitose, não pode ser explicado por um único mecanismo. Pela manhã, geralmente, quase 100% da população apresentam hálito desagradável, sendo considerado fisiológico devido à redução do fluxo salivar para quase zero durante sono e ao aumento de bactérias. Mas se após uma boa escovação dos dentes (que se resume em passar fita dental, escovar os dentes, usar raspador de língua e enxaguatório bucal – procedimentos indicados de 3 a 4 vezes ao dia) o mau hálito não desaparecer, pode-se considerar que a pessoa tem halitose e, portanto, deve ser diagnosticada e tratada.

O tratamento da halitose às vezes é demorado, mas sempre existe a possibilidade de controle. O atendimento nessa área é diferente do atendimento odontológico de rotina, por isso, é necessário um profissional especializado.

Muitos profissionais estão investindo em conhecimentos sobre o assunto.

GENGIVA SANGRANDO – ISTO PODE SER UM PROBLEMA SÉRIO

Na odontologia os dois maiores problemas que temos estão relacionados ou com a cárie dental ou com problemas com a gengiva sangrando. A cárie acontece na estrutura dental e o sangramento da gengiva acontece nas estruturas de suporte do dente. Para ambas um dos fatores principais é a inadequada escovação dos dentes.

O QUE É GENGIVA SANGRANDO?

O sangramento da gengiva geralmente está associado a sua inflamação. Na maioria dos casos temos a chamada gengivite ou periodontite, que acontece pelo acúmulo de placa (“sujeira”) nos dentes. Em casos mais graves e mais raros podemos ter desde uma desordem nutricional.

O que pode causar dúvida é a relação do sangramento ao escovar os dentes. Muitos pacientes reclamam da gengiva sangrando ao usar o fio dental e por causa disso param de usá-lo.

Porém isso é um grande erro.

Se o fio dental e a escova forem usados na maneira certa, ou seja, sem forçar a gengiva, o sangramento inicial que ocorre se deve a inflamação do periodonto. A medida que a correta higienização da boca for feita a gengiva volta a estado de saúde.

O que é gengivite?

A gengivite é uma inflamação da gengiva que pode progredir e atingir o osso alveolar. É este que envolve e sustenta os dentes. É causada pela presença da placa bacteriana ou biofilme dental, uma película incolor e pegajosa que se forma continuamente nos dentes. Se não for removida diariamente por meio da escovação e do uso do fio dental, a placa bacteriana pode se formar e as bactérias nela contidas poderão infeccionar não apenas a gengiva e a região ao redor dos dentes, mas acabarão por atingir o tecido abaixo da gengiva e o osso que suporta os dentes. Isto pode fazer com que os dentes fiquem amolecidos, caiam ou tenham que ser removidos pelo dentista.

QUAL A PRINCIPAL CAUSA DESSE PROBLEMA ?

Como falado anteriormente, a gengivite e a periodontite estão amplamente relacionadas ao sangramento gengival. Elas acontecem quando temos uma deficiência na escovação ou a falta no uso do fio dental, nesse caso, teremos acúmulo de placa que com o passar do tempo pode se calcificar formando o cálculo.

Em todo esse processo temos uma irritação e inflamação da gengiva que provocará seu sangramento. Nos casos mais graves, onde além do sangramento também temos perda de estrutura óssea ( estrutura de suporte) do dente, chamamos de periodontite.

Como saber se tenho gengivite?

A gengivite pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum entre os adultos. Se for detectada no seu estágio inicial, a gengivite pode ser revertida - portanto, visite seu dentista se notar qualquer um dos seguintes sintomas:

Gengiva vermelha, intumescida ou inchada, ou flácida.

Gengiva que sangra durante a escovação ou o uso do fio dental.

Dentes que parecem mais longos devido à retração da gengiva.

Gengiva que se separam ou se afastam dos dentes, criando uma bolsa.

Mudanças na forma como seus dentes se encaixam quando você morde.

Secreção de pus ao redor dos dentes e na bolsa gengival.

Mau hálito constante ou gosto ruim na boca.

DOENÇA PERIODONTAL

Definição

A doença periodontal é uma doença que afeta desde a gengiva até o osso que envolve e suporta o seu dente. Os três estágios da doença periodontal, que varia do menos ao mais grave, são gengivite, periodontite e periodontite avançada.

Sinais e Sintomas

A doença periodontal nem sempre apresenta dor, por isso é importante estar ciente de qualquer um dos sintomas abaixo: Gengiva que sangra facilmente durante a escovação ou o uso de fio dental;

Gengiva inchada, vermelha ou dolorida;

Gengiva retraída;

Mau hálito persistente ou gosto ruim na boca;

Dente amolecido;

Próteses parciais que se desajustaram;

Pus visível em torno dos dentes e gengiva;

Dores agudas ao mastigar os alimentos;

Dentes excessivamente sensíveis à temperaturas frias ou quentes.

Aprenda a escovar os dentes corretamente
Causas

Bactérias da placa bacteriana(biofilme dental), uma película pegajosa e incolor formada sobre os dentes, causam as doenças periodontais. Caso a placa não seja removida, ela pode endurecer e se transformar em tártaro (cálculo dental), que por sua vez facilita o acúmulo de mais placa. A escovação ou o uso do fio dental não remove o tártaro (cálculo dental); apenas um dentista poderá faze-lo por meio de uma limpeza profissional (raspagem).

Prevenção

Escovação e uso do fio dental adequados ajudam a prevenir a doença periodontal. O uso de cremes dentais e enxaguantes bucais com agentes antibacterianos pode matar as bactérias e diminuir a quantidade de placa em sua boca. Remover a placa bacteriana é a chave para prevenir a doença periodontal e melhorar a saúde bucal.

Tratamento

Uma raspagem supragengival feita pelo seu dentista é a única forma de remover a placa que se calcificou e se transformou em tártaro (cálculo dental).

Caso a doença periodontal esteja em um estágio mais avançado, raspagem e alisamento radicular podem ser realizados para tratar as bolsas periodontais infectadas e a diminuir assim a inflamação da gengiva. O dentista utiliza um dispositivo chamado ultrassom para remover a placa bacteriana, o tártaro (cálculo dental) e restos de alimentos acima e abaixo da margem gengival, ou optar pela raspagem manual, com instrumentos chamados curetas, para tornar as superfícies dos dentes lisas. Se as bolsas periodontais tiverem mais de 5 milímetros de profundidade, ou seja, se você tem periodontite moderada a severa, uma cirurgia periodontal poderá ser realizada por um periodontista a fim de reduzir as bolsas, bem como enxerto ósseo para restaurar o osso perdido.

Sensibilidade dental
O que é a Sensibilidade dental?

 A sensibilidade dentária é a dor causada pela exposição dos tubos dentinários. A causa mais comum desta sensibilidade na pessoa adulta é a exposição da raiz dos dentes na área cervical, ou colo, devido à retração gengival. Como a raiz não está coberta pelo esmalte, milhares de canalículos que vão do centro do dente e levam o feixe nervoso da polpa até a superfície ficam expostos e acusam a dor. Quando o calor, frio ou pressão afeta esses canalículos, você sente dor. Ignorar os dentes sensíveis pode levar a outros problemas de saúde bucal. Especialmente se a dor fizer com que você não escove bem seus dentes, tornando-os vulneráveis à cárie e doenças gengivais.

Como saber se meus dentes são sensíveis? 

Se você sentir uma sensação dolorosa em seus dentes após tomar bebidas ou comer comidas quentes ou frias, seus dentes são sensíveis. Mas não é só você que sente isto. É um problema que afeta um em cada quatro adultos, às vezes de forma não permanente.

Como tratar dentes sensíveis?

Em primeiro lugar, fale com seu dentista. A sensibilidade dos dentes geralmente pode ser tratada e curada. Seu dentista pode prescrever flúor em gel ou um enxagüante bucal com flúor. Você também pode tentar cremes dentais de baixa abrasividade com formulações feitas especialmente para dentes sensíveis. Pergunte ao seu dentista quais são os produtos mais adequados para o seu problema de sensibilidade. Tenha cuidado com a escovação e evite que seus dentes se desgastem ainda mais. Uma escovação muito forte, uma prótese parcial com grampos e aparelhos muito apertados e justos podem também levar à abrasão.

SENSIBILIDADE DENTAL

Definição

A sensibilidade dentária ocorre quando o esmalte protetor do dente se torna mais fino, ou mediante ocorrência de recessão da gengiva, expondo a superfície subjacente, a dentina, dessa forma, reduzindo a proteção que o esmalte e a gengiva fornece ao dente e a raiz. Sinais e sintomas

Se a ingestão de alimentos e bebidas quentes, frios, doces ou muito ácidos ou a respiração no ar frio faz com que seus dentes fiquem sensíveis ou doloridos, você pode ter sensibilidade nos dentes. A sensibilidade dentária pode ir e vir ao longo do tempo.

Formas de prevenir a SENSIBILIDADE DENTÁRIA

Escovação dentária diária - Escovar os dentes de forma adequada diariamente por 2 minutos com cremes dentais que não possuem altos níveis de abrasivos pode ajudar a reduzir a chance de sensibilidade dentária.

Utilização do fio dental - Utilizar o fio dental uma vez por dia pode ajudar a eliminar a placa na margem gengival e entre os dentes, e pode ajudar a reduzir a instância de sensibilidade dentária.

Seguir uma dieta de poucos ácidos - Uma dieta de alimentos e bebidas baixos em ácidos pode, também, ajudar a prevenir a sensibilidade dentária.

A sensibilidade nos dentes está estragando o seu dia?

A sensibilidade dentária pode fazer com que comer e beber seja uma experiência dolorosa. Experimente o creme dental Colgate Sensitive Pró-Alívio para alívio de sensibilidade que, com uso contínuo, pode ajudar a prevenir futuras ocorrências.

Aprenda a escovar os dentes corretamente
Aprenda a escovar os dentes corretamente

Boca Seca / Xerostomia

Boca Seca:

Conhecida por seu termo médico xerostomia, a boca seca é quando você não produz saliva suficiente para manter a boca úmida e hidratada.

Sinais e Sintomas

Todos sentem a boca seca às vezes, mas quando essa sensação não passa é porque talvez você tenha um problema em produzir saliva. Os sintomas de boca seca incluem:

Boca ou garganta seca;

Dificuldade para mastigar, deglutir, sentir gosto dos alimentos ou falar;

Sensação de queimação na boca;

Língua seca;

Lábios trincados;

Cárie;

Feridas na boca;

Mau hálito.

Causas

A boca seca pode ocorrer quando as glândulas que produzem saliva não funcionam adequadamente. Algumas causas comuns incluem nervosismo, estresse, alguns medicamentos, envelhecimento, tratamento de câncer (radiação/quimioterapia), diabetes,doenças autoimunes como a síndrome de Sjorgren, tabagismo e uso de drogas, como a metanfetamina.

A síndrome de Sjogren é uma doença crônica autoimune em que os leucócitos atacam as glândulas salivares, que produzem saliva, e as glândulas lacrimais, que produzem lágrimas.

Essa síndrome pode causar olhos secos, boca seca, fadiga e dor nas articulações. Também pode causar alterações em outros órgãos, como rins, sistema gastrointestinal, vasos sanguíneos, pulmões, fígado, pâncreas e sistema nervoso central.

Os problemas bucais que ocorrem são boca seca, aumento de volume das glândulas salivares, cárie e doenças periodontais. Tenha boas práticas de higiene bucal e consulte o seu dentista para que ele faça limpezas profissionais regulares.

Diagnóstico

A única forma permanente de curar a boca seca é tratando a sua causa. Se a sua boca seca for resultado de medicação, seu médico poderá mudar a medicação ou então a sua dosagem. Caso as suas glândulas salivares não estejam funcionando adequadamente, mas ainda produzem um pouco de saliva, o seu médico pode te oferecer um medicamento que ajude as glândulas a trabalhar melhor.

Aprenda a escovar os dentes corretamente
Aprenda a escovar os dentes corretamente
Prevenção

Existe uma série de medidas que podem te ajudar a minimizar a boca seca, incluindo:

Beber água ou bebidas sem açúcar ao longo do dia, e principalmente durante as refeições;

Evitar bebidas com cafeína, como café, chá e alguns refrigerantes;

Recomendação profissional de produtos de higiene bucal que irão ajudar na hidratação da boca;

Mascar chicletes sem açúcar para estimular o fluxo de saliva;

Evitar tabaco ou álcool;

Minimizar a ingestão de alimentos picantes ou salgados, que podem causar dor ou ardência em uma boca ressecada;

Evitar açúcar e alimentos ácidos;

Usar um umidificador à noite.

Medicamentos Podem Afetar Minha Saúde Bucal?

Sim, os medicamentos podem apresentar efeitos colaterais na boca, dos quais a "boca seca" é o efeito colateral mais comum. Não deixe de informar seu dentista sobre os medicamentos que você está usando, mesmo aqueles que comprou sem receita médica.

Uma das causas da boca seca ou xerostomia é quando as glândulas salivares não funcionam normalmente, produzindo uma quantidade insuficiente de saliva. Há três glândulas salivares principais na boca e os medicamentos podem afetá-las. Se estiver tomando algum remédio, informe seu médico e seu dentista. A xerosotomia pode atrapalhar algumas funções bucais como deglutição, fala, pode gerar maior número de infecções bucais e aumentar o índice de cárie.

Remédios tornam a boca seca
Que remédios tornam a boca seca?

Há mais de 500 medicamentos que podem causar boca seca e, o uso de vários deles ao mesmo tempo, pode aumentar a gravidade do problema. Alguns tipos de medicamento que afetam as glândulas salivares são os seguintes:

Anti-histamínicos: Esta categoria de medicamento afeta a produção de saliva. Entre eles estão: Benadryl, Claritin, Zyrtec, etc. 

Antidepressivos: As pessoas que tomam antidepressivos também apresentam problemas de boca seca. Este tipo de medicamentos afeta a produção de saliva. Entre eles: Zoloft, Flexaryl and Elavil.  Antieméticos: São remédios prescritos para evitar vômito e náusea na quimioterapia e radioterapia e também usados para tratar de enjoos (por exemplo, Anzemet, Domperidone). 

Anti-hipertensivos: Os medicamentos anti-hipertensivos (por exemplo, Albuterol aerossol, Norvasc, Prinivil) são tomados para o controle da pressão arterial.

Antiparkinson: Os medicamentos desta categoria são prescritos para aliviar os sintomas da doença de Parkinson e outras formas de parkinsonismo (por exemplo, Levodopa, Artane).

Antispasmódicos: Estes medicamentos são utilizados para tratar e aliviar as cólicas e espasmos que ocorrem no estômago, intestinos delgado e grosso e bexiga (por exemplo, Diciclomina). 

Antipsicóticos: Medicamentos indicados para transtornos psiquiátricos, ansiedade e depressão (por exemplo, Zoloft, Lexapro).

Sedativos: São substâncias que reduzem a excitação, irritabilidade ou ansiedade (por exemplo, Amytal, Valium, Lunesta). Se estiver tomando algum destes medicamentos, consulte seu médico e dentista para saber como controlar a boca seca. Há medicamentos, vendidos com ou sem receita, que podem aliviar a secura da boca e garganta. Seu médico ou dentista irá ajudá-lo a encontrar alívio para esse efeito colateral crônico.

Outros medicamentos podem causar inflamações, ulcerações, dormência, formigamento, distúrbios de movimento, alterações do paladar e, durante a escovação ou do uso do fio dental, sangramento excessivo da gengiva. Se perceber quaisquer desses sintomas, consulte seu dentista ou médico.

Tratamento

Se a sua boca seca for causada por remédios vendidos sob receita, seu médico pode reavaliar o tipo de medicamento que você está tomando e eliminar ou ajustar a dosagem daqueles que causam o problema. Os sprays de saliva artificial podem ser usados para ajudar a umedecer a boca e aumentar o fluxo de saliva. Seu médico também pode prescrever pilocarpina, um medicamento que ajuda a estimular a produção de saliva. Você também pode decidir simplesmente beber mais água para matar a sede decorrente da boca seca. Antissépticos orais na forma de enxaguatórios também são indicados como anti-microbianos para controlar a placa bacteriana ou auxiliar no tratamento de infecções bucais.

Entre os recursos que podem ser utilizados em casa para combater a boca seca estão a escovação dos dentes pelo menos três vezes ao dia com um creme dental com flúor, o uso diário de fio dental, a ingestão de água ou líquidos não açucarados nas refeições e o uso de balas ou gomas de mascar sem açúcar para estimular o fluxo salivar. Procure não respirar pela boca, pois isso aumenta o efeito da boca seca.

Consulte o seu médico e dentista se estiver sofrendo desse problema e monitore os medicamentos que você toma e o que você come ou bebe.

Complicações

Pode ser desconfortável você sentir que a boca está seca durante todo o tempo, além de poder trazer sérias consequências para a sua saúde bucal. O ressecamento irrita os tecidos moles na boca, o que pode deixá-los inflamados e mais suscetíveis à infecções. Sem os efeitos de limpeza da saliva, a cárie e outros problemas de saúde bucal podem se desenvolver com mais facilidade. É importante que você cuide bem de seus dentes e gengiva. Escove os dentes três vezes ao dia e use o fio dental ou um limpador interdental uma vez ao dia para remover a placa (biofilme dental) e restos de alimentos entre os dentes, onde a sua escova não alcança.

Tratamento boca seca
Tratamento boca seca

Cuidados Com A Escova Dental E Sua Substituição

Cuidando da Escova Dental

Como posso cuidar da minha escova dental?

Para preservar a sua escova dental e a sua saúde, certifique-se de deixá-la secar completamente entre um uso e outro. As escovas podem ser meios de cultura para germes, fungos e bactérias, que depois de um tempo podem se multiplicar em níveis significantes. Depois de usar a escova, agite-a vigorosamente sob água corrente e guarde-a em pé, de forma que possa secar.

Para evitar que os vírus da gripe e resfriado se propaguem de uma escova para outra, tente evitar que sua escova se encoste em outras quando guardada. Um porta-escovas tradicional com fendas para manter diversas escovas em pé é um investimento valioso para a saúde de sua família.

Com que freqüência devo trocar minha escova dental?

A maioria dos dentistas concorda que você deve trocar sua escova dental a cada três meses ou quando as cerdas deformarem. Estudos mostram que após três meses de uso normal, as escovas são muito menos eficientes na remoção da placa dos dentes e gengivas em comparação com escovas novas. As cerdas se deformam e perdem a eficiência para limpar todos aqueles cantinhos ao redor dos dentes.

Também é importante trocar de escova após resfriado, gripe, infecção na boca ou dor de garganta. Isso porque os germes podem se alojar nas cerdas da escova e levar à reinfecção. Mesmo se você não esteve doente, fungos e bactérias podem se desenvolver nas cerdas da sua escova - outra razão para trocar sua escova regularmente.

Frequencia que devo trocar minha escova dental
Como proteger a escova dental nas viagens

Como posso proteger minha escova durante viagens?

Uma caixa plástica para escova evitará que as cerdas fiquem espremidas ou achatadas no seu kit de viagem. Após a escovação, no entanto, você deve deixar a escova secar exposta ao ar, para ajudar a reduzir a proliferação de germes.

Higienização da língua

Na hora de escovar os dentes, muitos se esquecem de que a língua também acumula bactérias e passam batido por ela. “Todas aquelas protuberâncias e sulcos são um paraíso para os micro-organismos. E isso pode contribuir para o mau hálito”, afirma Flávio Luposeli, cirurgião-dentista (SP).

Além dos raspadores de língua, você tem a opção de fazer a higienização somente com a velha e boa escova de dente. É só seguir as recomendações e não se esquecer de repetir o processo em cada escovação!

1. Coloque a língua para fora, o máximo que puder, e tente visualizar as áreas esbranquiçadas.

2. Posicione a escova na parte posterior, sobre as áreas esbranquiçadas, e pressione-a contra a língua. Puxe a escova vagarosamente para a frente.

3. Repita esta operação até remover todos os detritos. Depois, enxágue a boca.

higienização da lingua
higienização da lingua

Saúde Bucal pacientes com Câncer

Consequências para saúde bucal  

A quimioterapia e a radioterapia podem causar xerostomia – conhecida como boca seca – que aumenta a incidência de cáries. A radiação também pode favorecer a osteorradionecrose, quando ocorre a morte de células do osso previamente irradiado com radiação ionizante.

O tratamento oncológico também pode causar ruptura das mucosas, infecções gengivais e alterações na composição da saliva que, eventualmente, pode deteriorar os dentes.

- Mucosite oral

- Xerostomia: "sensação de boca seca"

- Infecções oportunistas por fungos, bactérias ou vírus

- Aumento da ocorrência de cárie

- Alteração do paladar

- Trismo: dor na articulação da boca

- Osteonecrose (necrose do osso)

- Osteorradionecrose (morte de células do osso previamente irradiado com radiação ionizante

Saúde bucal pacientes com câncer
Fique de olho

- Lesões que não cicatrizam

- Dificuldade para engolir

- Dor ao mastigar e dor de garganta persistente

- Rouquidão

- Inchaço ou caroço na boca

- Presença de ‘bolinhas’

- Sensação de dormência na boca ou nos lábios

- Dor de ouvido persistente de um lado

Saúde bucal pacientes com câncer

Dicas durante o Tratamento do Câncer:

Escove suavemente, mas escove sempre

Escove seus dentes - e sua língua - suavemente com uma escova extramacia.

Escove após cada refeição e antes de dormir.

Use o fio dental suavemente — faça-o diariamente

Use o fio dental uma vez por dia para remover a placa.

Se houver sangramento e dor na gengiva, evite as áreas afetadas, mas continue o uso do fio dental nos outros dentes.

Mantenha sua boca úmida

Enxágue sempre com água.

Não use enxaguante bucal com álcool.

Use um substituto de saliva para ajudar a umedecer sua boca.

Coma e beba com cuidado

Escolha alimentos macios e fáceis de mastigar.

Proteja sua boca de alimentos condimentados, azedos ou crocantes.

Escolha alimentos e bebidas mornas ao invés de quente ou gelada.

Evite bebidas alcoólicas.

Continue tentando parar de fumar

Peça a sua equipe de tratamento do câncer para ajudá-lo a parar de fumar ou mascar tabaco.

Pessoas que param de fumar ou mascar tabaco têm menos problemas na boca.

Quando você deve ligar para sua equipe de tratamento de câncer e falar sobre os problemas bucais?

Disponha de um tempo todos os dias para verificar a aparência de sua boca. Ligue para sua equipe de tratamento do câncer quando:

Você perceber um problema na boca que esteja nesta lista

Um problema antigo piorar

Você perceber alterações das quais você não tem certeza do que seja

Dicas para problemas bucais Lesão bucal, dor de garganta

Para ajudar a manter sua boca limpa, enxague sempre com 1/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio e 1/8 de colher de chá de sal em uma xícara de água morna. Em seguida, enxágue com água em abundância. Mas não se esqueça de avisar o se oncologista.

Boca seca

Enxague sua boca regularmente com água, use chiclete ou bala sem açúcar e fale com seu dentista sobre substitutos de saliva.

Infecções

Ligue para sua equipe de tratamento do câncer assim que você vir uma lesão, inchaço, sangramento ou uma placa branca em sua boca.

Problemas de alimentação

Sua equipe de tratamento do câncer poderá ajudá-lo fornecendo medicamentos para aliviar a dor das lesões bucais e instruir na escolha de alimentos que sejam fáceis de ingerir.

Sangramento

Se sua gengiva sangrar ou doer evite usar o fio dental nessas áreas mais sensíveis, mas continue utilizando o fio nos outros dentes. Amacie as cerdas de sua escova em água morna.

Rigidez nos músculos da mastigação

Três vezes por dia, abra e feche a boca, tanto o quanto você puder, sem dor. Repita 20 vezes este movimento.

Vômito

Enxágue sua boca após vomitar com 1/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio e 1/8 de colher de chá de sal em uma xícara de água morna.

Cárie

Escove os dentes após as refeições e antes de dormir. Seu dentista poderá receitar flúor para os dentes para prevenir a cárie.

Cáseos Amigdalianos ou Caseum, o que são?

A amigdalite ou tonsilite crônica caseosa, também chamada de amigdalite críptica, é relatada como uma sensação de desconforto ou irritação frequente na garganta e se caracteriza pela eliminação de cáseos amigdalianos, isolada ou associada a outros sintomas como a halitose (ou mau hálito), sensação de corpo estranho ou amigdalite de repetição. Tais sintomas podem, ainda, ser acompanhados de hiperemia (vermelhidão) e hipertrofia (aumento) das amígdalas, sem hipertermia (aumento da temperatura), e geralmente desaparecem após a eliminação do cáseo. Esta enfermidade pode ocorrer em qualquer idade, inclusive em indivíduos que nunca tiveram sintomas nas amígdalas.

O cáseo amigdaliano, também chamado de caseum, tonsilolito ou popularmente, bolinha na garganta, se forma em pequenas cavidades existentes nas amígdalas, denominadas  criptas amigdalianas. O cáseo é uma massa viscosa e seu nome deriva do latim caseum, que significa queijo, assemelhando-se assim a uma pequena “bolinha de queijo” com um odor forte e desagradável.

A presença de cáseos pode favorecer o aparecimento de inúmeras desordens bucais e sistêmicas, como a saburra lingual, a doença periodontal, mau hálito (halitose), amigdalites, entre outras, além de afetar as relações interpessoais (profissão, casamento e vida em sociedade) devido à alteração no hálito que ele provoca.

Os tratamentos propostos, até o momento, são clínicos, através do uso de antiinflamatórios, de gargarejos com soluções salinas e anti-sépticas, sem resultados satisfatórios, ou cirúrgicos, através de amidalotomias e amigdalectomias convencionais ou conservadoras, utilizando-se o laser que mantêm parte das amígdalas e que consiste na remoção de parte das cavidades (criptas amigdalianas) em uma sucessivas intervenções cirúrgicas.

Cáseos Amigdalianos ou Caseum, o que são?

Faça sua revisão regularmente!

É muito importante realizar sua revisão regularmente, pois a saúde começa pela boca!

Qualquer que seja o problema que você tenha será diagnosticado em seu estágio inicial, evitando extrações, restaurações, enxertos ósseos, implantes, entre outros procedimentos.

Evolução da Doença Periodontal

A Doença Periodontal é causada pela não remoção da placa bacteriana aderida nos dentes que acabam se calcificando através da saliva, transformando em tártaro. Esta evolução inicia com a inflamação da gengiva, causando sangramento e progride à doença periodontal.

Consequências da Doença Periodontal

Esta doença é um processo inflamatório nos tecidos periodontais, que leva à reabsorção do osso que está ao redor da raiz dos dentes trazendo diversos transtornos ao paciente: mau hálito, sensibilidade e mobilidade dentária, e se não realizar o tratamento periodontal levará a perda dos dentes.

Gengivectomia

A cirurgia plástica gengival é simples e rápida. Em geral, é a correção das imperfeições na gengiva. Se o caso for de gengiva aumentada, quando ela aparece muito no sorriso, deve ser feita uma cirurgia mais elaborada. Há casos em que, somente retirar o excesso da gengiva não irá resolver, sendo necessário uma cirurgia maior para realizar a plastia óssea também.

Aumento de Coroa Clínica

A técnica de aumento de coroa clínica é realizada quando um ou mais dentes apresentam lesão cariosa subgengival (abaixo da gengiva) e impossibilita a restauração ou colocação de uma prótese neste dente.

Esta técnica consiste em uma plástica em osso e gengiva com a finalidade de exposição da cavidade da cárie, para a visualização do término do dente para poder então realizar a restauração.

Evolução da Doença Periodontal

A Doença Periodontal é causada pela não remoção da placa bacteriana aderida nos dentes que acabam se calcificando através da saliva, transformando em tártaro. Esta evolução inicia com a inflamação da gengiva, causando sangramento e progride à doença periodontal.

Aprenda a escovar os dentes corretamente

Aprenda a escovar os dentes corretamente

Aumento de Coroa Clínica

A técnica de aumento de coroa clínica é realizada quando um ou mais dentes apresentam lesão cariosa subgengival (abaixo da gengiva) e impossibilita a restauração ou colocação de uma prótese neste dente.

Esta técnica consiste em uma plástica em osso e gengiva com a finalidade de exposição da cavidade da cárie, para a visualização do término do dente para poder então realizar a restauração.

Higienização Oral

Veja o passo a passo da Higienização Oral.

Observe todas a faces dos dentes serem higienizadas, assim como limpeza da Língua.

Recobrimento de Retrações Gengivais

Este vídeo demonstra as técnicas atuais para recobrir porções das raízes que frequentemente ficam expostas, trazendo prejuízo estético, maior incidência de cáries e sensibilidade. Esta retração gengival pode ser causada por diversos fatores, sendo de extrema importância realizar uma avaliação individual e cautelosa para definir o melhor tratamento.

Quero transformar meu Sorriso!